HELICÓPTEROS LEONARDO COM ENGENHARIA PORTUGUESA

O CEiiA esteve desde 2009 diretamente envolvido no desenvolvimento de seis modelos de helicópteros da Leonardo (grupo Finmeccanica), um dos maiores construtores de helicópteros do mundo, integrando várias fases do desenvolvimento do produto.

 

 

 

Sobre a Leonardo

 

A Leonardo é o segundo maior construtor de helicópteros do mundo e tem operações em Itália, Reino Unido, Polónia e EUA, empregando mais de 13 000 pessoas. Em 2014, a ainda AgustaWestland (a alteração de designação de AgustaWestland para Leonardo ocorreu apenas no início de 2016) faturou 4 376 milhões de euros, teve um EBITA de 543 milhões e recebeu encomendas de 4 556 milhões de euros. A carteira de encomendas cifrou-se nos 12 249 milhões de euros, o que corresponde a um pipeline de quase três anos de produção.

 

Um dos dados mais relevantes na análise da ex-AW é o seu investimento em I&D: 468 milhões de euros só em 2014, o que corresponde a aproximadamente 11% da faturação, uma atividade que envolve 1 700 funcionários.

 

A Finmeccanica oferece no mercado vários modelos de helicópteros para uso civil e militar.

 

 

 

O CEiiA e a Leonardo

 

A colaboração com a agora Leonardo foi iniciada em 2009, na sequência de um projeto conjunto que visava criar uma base de engenharia e investigação que trouxesse ao CEiiA a capacidade de estar envolvido em projetos de complexidade crescente. Com duração inicial prevista até 2014, esse acordo foi sendo estendido e hoje são vários os projetos de desenvolvimento de aeronaves em que o CEiiA participa, alguns dos quais iniciados recentemente e com uma elevada complexidade.

 

A equipa do CEiiA, em Portugal, Inglaterra e Itália, está distribuída por diversas áreas de competências e programas: Aerodinâmica; Apoio à Gestão de Programas e Projetos de I&D e Engenharia; Sistemas Elétricos e Aviónicos; Desenvolvimento de Sistemas de Rotores; Suporte ao Cliente e Certificação; Ensaios Estruturais.

 

O CEiiA está atualmente envolvido no desenvolvimento de quatro modelos de helicópteros.

 

 

AW609 Tiltrotor

 

O AW609 Tiltrotor é uma aeronave distinta porque combina as vantagens de um helicóptero (decola e aterra verticalmente) e de um avião de asa fixa (voa duas vezes mais rápido que um helicóptero convencional) numa única aeronave. Pode transportar até nove pessoas. 

 

 

 

Em 2013 o CEiiA iniciou a colaboração num dos mais desafiantes programas da Leonardo, o AW609 Tiltrotor. Numa primeira fase foram efetuadas atividades de design e análise estrutural, focadas na redução e otimização de peso e no projeto para fins de industrialização. Em 2014 foi iniciada uma segunda fase desta colaboração, quando foi atribuída ao CEiiA a responsabilidade do conceito, desenvolvimento e implementação das modificações necessárias para introduzir uma nova forma (em formato clam shell). Estas modificações têm o intuito de serem introduzidas tanto na aeronave de testes como na aeronave final, sendo necessária a colaboração do CEiiA para a sua industrialização. Este desenvolvimento envolve várias fases, desde o desenvolvimento conceptual e preliminar até ao detalhamento final de PSEs (Primary Structural Elements), elementos de estrutura primária críticos para a segurança em voo da aeronave.

 

 

AW189

 

O AW189 é o produto mais recente da Finmeccanica. Transporta 16 a 19 passageiros e tem várias aplicações civis. 

 

 

 

Em 2014 o CEiiA iniciou os trabalhos no AW189, através do desenvolvimento e implementação dos diversos equipamentos associados à opção Fly-by-wire – voo sem ligação física entre os equipamentos de controlo e os diversos atuadores da aeronave. Neste âmbito, o CEiiA desenvolveu o conceito e a fase de detalhamento para fabrico do protótipo do berço e mecanismos associados à instalação da nova manche de controlo da aeronave, localizada ao lado do assento dos pilotos e anexa a estes. Adicionalmente, o CEiiA está a projetar as modificações estruturais necessárias à instalação de diversos equipamentos aviónicos em diversas localizações da aeronave. 

 

 

 

AW169

 

O AW169, lançado em 2010, é um helicóptero na classe das 4,5 toneladas de motor duplo que transporta até 10 passageiros.

 

 

 

Em 2014 o CEiiA iniciou os trabalhos de desenvolvimento e instalação de diversos kits para o AW169, sendo alguns críticos para a certificação da aeronave, demonstrando assim a crescente confiança da Leonardo nas capacidades de desenvolvimento e engenharia do CEiiA. Estes kits variam entre a instalação e equipamentos específicos de busca e salvamento, kits de salva-vidas e as diversas configurações de interiores das aeronaves, com especial foco nas componentes estruturais do chão. A Leonardo fez recentemente a primeira entrega comercial desta aeronave.

 

 

AW101

 

O AW101 é um helicóptero de 16 toneladas desenhado quer para aplicações militares quer para aplicações civis. Tem capacidade de transportar até 30 passageiros e pode ser adaptado para operações de transporte.

 

 

 

Em 2014 foi reiniciada a prestação de serviços de engenharia para o programa AW101, que se prevê continuar nos próximos anos. Este foi o primeiro programa em regime de offload da Leonardo para o CEiiA, fruto da formação da equipa inicial de design, em 2009 e da instalação da servidores e workstations com acesso remoto direto ao produto do cliente, que permite uma grande integração do trabalho do CEiiA. Sendo um produto que iniciou o seu desenvolvimento há mais de 30 anos, e em produção desde a década de 90, o CEiiA dispõe de uma experiência comprovada e recursos qualificados, sendo um dos fornecedores preferenciais de serviços de design de estruturas da Leonardo para este programa.

 

 

INFORMAÇÃO ADICIONAL

 

Sobre a Finmeccanica

 

A Finmeccanica é o segundo maior construtor de helicópteros do mundo e tem operações em Itália, Reino Unido, Polónia e EUA, empregando mais de 13 000 pessoas. Em 2014, a ainda AgustaWestland (a alteração de designação de AgustaWestland para Leonardo ocorreu apenas no início de 2016) faturou 4 376 milhões de euros, teve um EBITA de 543 milhões e recebeu encomendas de 4 556 milhões de euros. A carteira de encomendas cifrou-se nos 12 249 milhões de euros, o que corresponde a um pipeline de quase três anos de produção.

 

Um dos dados mais relevantes na análise da ex-AW é o seu investimento em I&D: 468 milhões de euros só em 2014, o que corresponde a aproximadamente 11% da faturação, uma atividade que envolve 1 700 funcionários.

 

A Leonardo oferece no mercado vários modelos de helicópteros para uso civil e militar.

 

 

Please reload

CEiiA © 2020. All rights reserved.

Locations

Email

  • LinkedIn - White Circle
  • YouTube - White Circle

Youtube

LinkedIn